Mitos e verdades sobre diabetes

Luta por Medicamento é relembrada dia 8 de setembro
8 de setembro de 2017
Erro em data na embalagem suspende lote do Astro
29 de setembro de 2017
Exibir tudo

Pacientes ainda têm dúvidas sobre o assunto

As informações sobre diabetes ainda são um pouco confusa para os pacientes. Pensando nisso, a endocrinologista Dhianah Santini esclareceu alguns mitos e verdades da doença, que podem ajudar na orientação correta.

Diabetes não tem cura

Verdade. Ainda que seja possível controlá-la, não há tratamentos aprovados clinicamente que garantam a cura do diabetes.

Diabetes é doença de isodo

Mito. É uma doença crônica com dois tipos mais frequentes. O tipo 1 é caracterizado por um defeito imunológico que diminui a produção da insulina pelo pâncreas e é descoberta, normalmente, durante a infância ou adolescência. Já no tipo 2, que está relacionado a quase 90% dos diagnósticos, o pâncreas produz insula, mas sua ação fica comprometida.

Por estar relacionado a excesso de peso, sedentarismo e histórico familiar, o diabetes tipo 2 pode ser evitado – o que não acontece no tipo 1 – e é geralmente diagnosticado em pacientes adultos.

A doença cardiovascular no diabético mata mais que HIV, tuberculose e câncer de mama na população mundial

Verdade. Problemas nos olhos, feridas nos pés que não cicatrizam, mau funcionamento dos rins e neuropatia diabética são as complicações mais conhecidas da doença, sendo as cardiovasculares as mais letais.

Mau funcionamento dos rins e cegueira são as únicas complicações do diabetes

Mito. Quando não controlado, o diabetes ocasiona obstrução em pequenos vãos que pode ocasionar em lesões na visão, no rim e neuropatias. Já nos grandes vasos do corpo, o diabetes pode causar acidente vascular cerebral (AVC), doença arterial periférica ou doença arterial coronariana isquêmica.

Diabéticos podem sofrer infarto sem sentir dor

Verdade. A neuropatia torna as manifestações cardiovasculares atípicas no paciente com diabetes, que pode sofrer um infarto sem sentir dor e, até mesmo, apresentar um eletrocardiograma normal.

Fonte: MaxPress

Foto: Shutterstock

Deixe Seu Comentário